Mayra Andrade e o afrobeat de Cabo verde

sexta-feira, 21 de agosto de 2020

 

Eu e um amigo temos o costume de sempre indicar musicas um ao outro, assim não caímos na mesmice  de nossas playlists. Ele sabe meus gostos e eu sei os dele, mas as músicas que compartilhamos sempre nos fazem sair de nossa zona de conforto, do que já estamos acostumados a ouvir.

E foi assim que Mayra Andrade chegou até mim. Minhas primeiras impressões foram de surpresa mesmo. Já que na música que ele me enviou, ela canta um português com sotaque até então desconhecido por mim. Como acompanho alguns youtubers  de países africanos que falam português, imaginei que Mayra pudesse também ser de algum desses países.

A princípio achei incrível. Aquele estava sendo meu primeiro contato com uma música cantada em um português próprio de Angola, Cabo Verde ou Moçambique.  Os dias se passavam e lá estava eu ouvindo e ouvindo de novo  Terra da saudade. A música de Mayra em questão. Até que um dia de manhã decidi procura-la nas redes sociais, precisava  ver o rosto e a vida compartilhada daquela mulher que com sua voz estava embalando meus dias por quase uma semana e meia.


E eu havia acertado em cheio, Mayra é Caboverdiana. Passei a consumir os videos dela em seu canal no youtube e foi aí que percebi que Mayra é uma artista muito mais complexa do que aparenta ser. Corri Pro Spotify onde estava quase quebrando a tela de meu celular clicando no  play e pondo  Terra da Saudade pra tocar. Decidi naquele momento, quase duas semanas depois ouvir o álbum inteiro. 

Manga, nome do Terceiro álbum de estúdio da cantora, me apresentou uma face do afrobeat até então desconhecida por mim. Me introduzindo ainda, a uma linguagem que jamais havia ouvido falar. O  Criolo-Caboverdiano. Essa linguagem se trata de uma mistura de um dialeto africano com o português e surgiu na época da colonização portuguesa que se deu no Arquipélago de Cabo Verde. O crioulo de Cabo-Verde é de base lexical portuguesa, ou seja, as palavras são portuguesas, mas a sintaxe e a morfologia são mais da língua autóctone. E é desse jeito que Mayra leva o álbum do começo ao fim. Com algumas músicas em português e outras cantadas em sua língua materna.

A experiência de ouvir a caboverdiana cantar é incrível e única. Seu álbum é sensual, animado, suculento e muito gostoso de se ouvir. O fato de não entender as palavras que ela canta nas músicas em Crioulo, não afeta em nada o aproveitamento e a experiência diferente que ela vai te proporcionar no segundo em que o você der play no álbum. Mayra canta em Português e em Criolo caboverdiano


Manga, a música que da nome ao álbum vai teletransportar pro mundo de Mayra, paras águas azuis dos mares de Cabo Verde, vai te fazer querer dançar de pés descalços na areia macia de uma praia que você nem sabia que existia.


Terra da saudade é a música que me trouxe até aqui. A música que me introduziu a esse afrobeat tão desconhecido por mim.

Comments