terça-feira, 29 de maio de 2018

A Luz que perdemos | Estante

Foto: Arqueiro.
Nome: A luz que perdemos.
Autora: Jill Santopolo.
Editora: Arqueiro.
Páginas: 336 páginas.
Classificação:

Onde encontrar: Amazon | Cultura | Saraiva | Submarino

Sinopse: O onze de setembro desencadeou várias coisas e uma delas foi um grande propósito na vida de Gabe e Luce. Ambos não esperavam por esse encontro, nem que um ataque terrorista desencadeasse algo tão incrível dentro deles como esse proposito tão grande pela vida e de correr atrás dos seus sonhos. Eles sentem que tem muito a fazer pelo mundo, mas de formas diferentes e a intensidade com que levam essas relações e todos os percalços no caminho é de emocionar e aquecer o coração. Histórias de amor não precisam ser imensas para serem bonitas. 13 anos é muito tempo, mas todas a ramificações dessa história vão permear a vida desses personagens para sempre.

Luce e Gabe se conhecem na faculdade devido ao atentado do onze de setembro, mas esse é só um dos vários encontros que eles vão ter ao longo da vida. Num relacionamento é comum ter a discussão sobre quem vai ceder mais para que tudo funcione melhor para ambos. Só que abdicar dos seus sonhos para viver em função de uma outra pessoa é pedir muito, mas e se eles fizerem isso? Toda a história é sobre como no mundo temos inúmeras possibilidades e ás vezes ao escolhemos uma fechamos uma porta de outras possibilidades.

A Luce que narra a história sofre muito com o papel da mulher na sociedade e do que as pessoas esperam que ela se trone. Abrindo diversas discussões sobre ser mulher, qual a melhor saída ou caminho?  E por que não posso viver a vida dos meus sonhos? Só porque não esperam isso de mim?
e todo final de capítulo ela narra como isso tudo está no presente e você só encontra o presente no final do livro.

Minhas impressões: 
Meu maior medo ao ler a história era que o onze de setembro fosse romantizado, mas ao contrário do que esperava esse acontecimento se tornou um propósito na vida dos personagens principais. Nem sei por onde começar a falar desta história. Quando comecei o livro esperava que fosse daqueles que você põe na cabeceira e lê no fim do dia, mas não se envolve diretamente com a história. Estava enganada, me vi absorvida pela história e cheia de incertezas sobre o que acredito ser amor, paixão, família e sobre o futuro. 

A vida é baseada em escolhas, talvez Luce e Gabe não tenham feito as melhores, mas não abdicaram de seus sonhos para viver os do outro e ambos terão minha profunda admiração por isso. Histórias de amor são contadas o tempo todo, mas de maneiras diferentes e obedecendo uma fórmula. Esta teve suas divergências, pontos positivos e negativos. Resinificou o 11 de setembro sem romantizar o que aconteceu. O descreveu de maneira dura e dolorosa que deixa o leitor com o pesar no peito pelo está lendo, me vi perdidas em lágrimas ao longo das páginas. Fui feliz, triste (com algumas cenas) mas no final adorei o romance. Me arrebatou por completo e virou um dos meus favoritos desse ano.

Em suma, essa história é uma grande metáfora sobre escolhas, sonhos, futuro e amor. E que provavelmente vai arrebatar muitos leitores.

Citações favoritas:
Você me ensinou a buscar a beleza. Em meio as ruínas e à escuridão, você sempre encontrou a luz.

Às vezes os objetos parecem ser testemunhas da história.

Há algo na morte que faz as pessoas desejarem viver.

Há momentos que alteram a vida das pessoas.

Toda vez que encontro você o mundo está em pedaços.

Nunca vou agir como se os seus sonhos fossem descartáveis.

A conclusão lógica de viver cada dia como se fosse o último -prosseguiu ela- é que não da para fazer planos para o futuro. Esse é o problema.

Porque só revelamos nossa verdadeira natureza para as pessoas que mais amamos,

Como se meu coração fosse frágil como vidro e alguém o jogasse no chão, quebrando-o em um milhão de pedaços para esfregar o sapato nos cacos.

Lembre-se existe uma diferença entre amor e paixão.

sábado, 26 de maio de 2018

Novidades em adaptações literárias | Manteiga de cinema



No último mês, aconteceram várias novidades no mundo das adaptações literárias. Uma delas foi que a Paula Pimenta revelou qual dos seus livros vai ser o primeiro a ser adaptado para o cinema que é o Cinderela Pop publicado pela galera record onde a autora assina uma série sobre princesas. Quem vai protagonizar o longa é a Maísa Silva que também é uma das protagonista de Tudo por um popstar da Thalita Rebouças que estará nos cinemas em julho deste ano.

 

Finalmente temos uma notícia para Quem é você Alasca? os direitos do livro foram adquirido pelo hulu serviço de streaming responsável por The handmaid's tale quem liberou essa informação foi o portal Deadline e o responsável pelo piloto é o  Josh Schwartz (Gossip Girl) que também contará como o Jhon Green como produtor executivo a série vai contar com oito episódios. O livro foi originalmente publicado em 2005 e teve seus direitos comprados pela Paramount, mas com a fraca bilheteria de Cidades de papel o projeto do filme foi engavetado.



A adaptação de O ódio que você semeia finalmente também ganhou data de estréia 19 de Outubro de 2018 e estou muito feliz, pois que hino de livro. Em breve sai a resenha dele escrita e em vídeo e está rolando leitura conjunta do clube do livro @enigmadolivro que estou relendo para resenhar e discutir junto com eles se quiserem participar sigam eles para maiores informações. No elenco Amandla Stenberg que interpretará a Star e também conta Lamar Jhonson que interpretará Senven irmão do meio da Star, Sofia Carson que será Hailey uma das amigas da garota.


Cade você Bernadette? também finalmente teve uma data de estréia 19 de outubro de 2018. O longa conta como Troian Bellissario conhecida pelo papel de Spencer em Pretty Little Liars e Cate Blanchett conhecida pela sua personagem na rainha dos elfos na trilogia do Senhor dos anéis a atriz conta dois oscars e três globos de ouro.

Esses dias descobri uma conta nova no twitter que se chama @SemSpoiler_ como esses post no blog são esporádicos recomendo que sigam essa conta para se manter sempre atualizados a respeito do mundo literário e todas as suas adaptações.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Mas você mudou tanto né? | Escritos

Gif: Tumblr

Nossa, mas você mudou tanto né?

Ainda bem que eu mudei. Tenho ouvido essa frase com mais frequência do que gostaria e pela primeira vez isso não tem me deixado triste. Nunca fui fã de mudanças adoro minha zona de conforto e se pudesse vivia apenas nela. Porém nos últimos anos muita bagunça aconteceu na minha vida, se alguém falasse para a Andresa de quinze anos que escrevia sobre amor nos cadernos da escola a mulher que ela estava prestes a se tornar não teria tanto impacto como tem agora. 

Sei que você odeia spoiler das suas séries, mas da sua vida ia estragar tudo! Senta e vai com calma. Meio mundo vai te fazer duvidar das coisas que acreditava serem tão certas e isso só vai te deixar mais forte mudanças vem pro bem não pro estrago.

Talvez você esteja fada a acreditar que precisa de coisas que nunca precisou, mas a linha entre o ter e o ser, é tênue. Dizer não para as coisas que acredita serem erradas, se libertar dos velhos pensamentos, paradigmas e até de amizades vai te deixar melhor. Você não é uma super heroína e eles estão tão melhores sem você quando tu estás sem eles, ou não, nunca vai saber de fato, pois isso não faz mais parte de quem está prestes a se tornar. 

Deixar isso tudo no caminho é doloroso, ninguém disse que seria fácil né? Algumas perguntas importantes são respondidas o tempo todo, mas observe os pequenos detalhes se conheça mais, respeite seus limites e lembre-se que você não é seus erros. Eles só fazem parte de quem você foi um dia.

Onde não existir reciprocidade não se demore | Lançamentos


No último dia 05 deste mês, compareci a um lançamento junto a Jubs que sempre tira as minhas fotos nos eventos. Para prestigiar o escritor pernambucano Iandê Albuquerque com seu primeiro livro publicado pela Editora Planeta na Livraria Cultura que fica no Paço Alfandêga em Recife. Sempre tem lançamentos por aqui na cidade apesar de a frequência ter diminuído um pouco no último ano por custos e falta de divulgação.

Sempre surge muitas perguntas nas redes sociais de como vou para esses lançamentos e se precisa de convite especial. Gente, não precisa de nada disso. A editora promove em parceira com a livraria para que o autor possa conhecer seus leitores, tirar fotos, trocar uma ideia e se divertir autografando. Geralmente eles possuem senhas 200,300,500 o número varia de acordo com a livraria e tempo estipulado para o lançamento que geralmente ocorre até o fechamento da loja.

Onde observar esses eventos? No facebook das editoras tem uma aba lançamentos, mas também é válido seguir pedir as livrarias eles só trazem quando sabem que tem um público que curte aquele livro, pois além de ser caro todos nós sabemos que incentivo a leitura no Brasil é mínimo e livro também está bastante caro e poucas pessoas possuem grana de fato para investir.


Para saber dos eventos acompanhe as redes da livraria da sua cidade. e só coloca no filtro de cidades e verificar se tem o nome da sua:

A resenha do livro do Iandê sai em breve no canal e por aqui também!