Destaques

Receba nosso conteúdo por e-mail ♥

sábado, 29 de dezembro de 2018

Para todos os garotos que já amei (contém spoilers) | Manteiga de cinema


Finalmente post mais cobrado do instagram (@escritoselivros)  é sobre essa adaptação que irá ter resenha dos três livros em breve por aqui. E que essa semana foi confirmado pelo netflix e a autora sua sequência. A minha opinião sobre a adaptação foi bem balanceada, mas entendo que alguns ajustes foram feitos exatamente pela alteração de formato, pois nem tudo que está no livro por ir pro cinema e nem tudo é atrativo aos espectadores.

A gente sabe quem enviou as cartas logo de cara. No livro, esse suspense é escondido um pouco mais. A Kitty do livro é mais chata que no filme, mas continuo adorando a personagem. A Margô também não sou muito da personagem de algumas atitudes, porém gostei de ver ela no filme. Amei o fato que a Jenny Han bateu o pé para que fosse uma protagonista asiática e não uma garota branca e loira padrão.A Gen do livro e a relação com a Lara Jean é muito diferente elas tem um consideração uma pela outra no filme só reforça o esteriótipo de rivalidade feminina.

O Peter do filme é muito parecido com o do livro, mas antes do filme cogitei o Noah não ter sido uma boa possibilidade. Gostei muito que ele não pintado como um cara babaca e chatinho, pois no livro tem uma atitudes bem irritantes do personagem, mas nada que reforce este estereótipo e nem que seja abusivo.

A trilha sonora e a fotografia são impecáveis e tudo muito parecido com o livro de fato. Imaginei várias vezes lendo a história e até o quarto da Lara Jean é parecido com o que projetei na minha cabeça. E ele foi projetado no estande da intrínseca da Bienal de São Paulo. O gancho final deixou a desejar se teria uma continuação ou não, como leitora acredito que tenha sim espaço para contar mais coisas que rolaram na história e sem deixar de respeitar obra ou se tornar apelativo.


Para a nossa alegria a sequência foi finalmente confirmada, mas ainda não tem data de estréia no serviço de streaming.

Playlist do filme:

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Se não eu, quem vai fazer você feliz? minha história de amor com o chorão | Estante


Nome: Se não eu, quem vai fazer você feliz? minha história de amor com o chorão
Autora: Graziela Gonçalves
Editora: Paralela
Classificação: 
Páginas: 267 páginas.
Onde encontrar: Amazon | Cultura | Submarino

Sinopse: Depois de diversos convites, Graziela finalmente aceitou compartilhar sua história de amor com o Chorão com os fãs da banda. Narrado em primeira pessoa, a história passeia por todas as fases do casal, a autora divide os detalhes íntimos que forram cruciais na relação deles e como juntos trabalharam pela banda, construíram uma vida e dividiram sonhos. Uma história de amor real e que foi infelizmente teve um fim trágico por causa de droga, mas isso não diminui nada do que eles viveram e conquistaram juntos.

Alexandre Magno popularmente conhecido como Chorão, foi um dos grandes ícones do rock nacional e inspira muitas bandas brasileiras até hoje. Conquistou o Brasil com suas letra repletas de paixão pela música. Essa intensidade marcou também sua icônica história de amor com Graziela Gonçalves, sua esposa e companheira cujo abraçou os seus sonhos com a banda e fez tudo que podia para ajuda-ló.

Infelizmente em março de 2013, o cantor faleceu após uma overdose. E desde então a sua esposa, então viúva recebeu diversos convites para escrever um livro sobre história dos dois, mas na época a mídia a responsabilizou pelo estado mental de seu companheiro até então viciado em cocaína.

Mesmo com os alertas da esposa aos amigos, conhecidos e familiares nenhum foi levado a sério. O que resultou no abandono dele do tratamento e logo depois o óbito. Quando uma pessoa vira um dependente químico todos a sua volta adoecem e não foi diferente com ela. Após sua morte a culpabilização por algo que não lhe dizia respeito como a saúde mental de seu parceiro, o afastamento de tudo e todos foi inevitável, mas após um período sabático ao escrever esta história e visitar locais do passado através da escrita a libertou da dor e do luto, dando espaço apenas para o amor e gratidão de ter vivido essa história.
Minhas impressões:
Então, eu sempre fui muito fã da banda e lembro exatamente o que estava fazendo no dia que o chorão morreu. Estava no primeiro ano do ensino médio e tinha costume de sempre ler as notícias em portais online ao acordar, assim que abri o facebook o R7 tinha acabado de postar sobre sua morte. Peguei o celular e liguei para o meu melhor amigo na época que era muito fã do Charlie Brown Jr e disse: "você ta sentado?" "não,o que foi?" "então, senta que eu preciso te dar uma notícia" "fala" "chato, o chorão morreu" silêncio do outro lado da linha. Aquele dia no colégio foi estranho e eu que nunca tinha lidado com a morte de alguém que admirava de perto lidei pela primeira vez.

A narrativa é extremamente fluída, envolvente e muito boa para um primeiro livro. Devorei a história em um dia, foi impossível para mim largar o livro e não perguntar o que vinha depois. Todas as fases do Charlie Brown o crescimento da banda, deles enquanto pessoas e toda a espiritualidade que envolveu isso tudo. É absurdamente bom.   

Grazi, você é uma mulher incrível. Admiro sua força e coragem de contar sua história de amor e dividir algo tão íntimo de vocês. Esperei muitos anos para ouvir a sua versão do que tinha acontecido, pois sabia que mídia tinha te pitado como vilã, mas lendo este livro tenho certeza que foi feito o possível e impossível por ti para salva-ló. Se tem um vilão nessa história, esse grande vilão é a cocaína que destruiu a vida de um homem que tinha seus defeitos e qualidades, mas que com certeza deixou um legado musical esplêndido juntamente com uma legião de fãs apaixonados.  Redescobri as letras lendo a história de vocês e reconheci muitas delas no dia a dia dele, foi lindo como a espiritualidade (especialmente o espiritismo) o fez bem, ao enxergar um caminho diferente os cds tomaram outro rumo e suas letras um destino lindo e se tornando ainda mais apaixonantes, sinceras e críticas.

Chorei muito como final deste livro,pois me fez relembrar o fatídico dia em abril de 2013. E a Grazi conseguiu traduzir com uma maestria singular todas as suas emoções e conter as lágrimas foi inevitável, nunca assisti um show do Charlie Brown Jr infelizmente o Alexandre se foi antes disso e coincidentemente o Champinhom também com show marcado para Recife próximo, foram dois baques no mesmo ano e que pegaram os fãs de surpresa. Se pudesse daria todas a incontáveis estrelas do céu para classificar o quanto gostei desse livro como não posso me contento em escrever essa resenha.

Citações favoritas:

Estava naquele período da vida em que você toma consciência de muitas coisas e entra na viagem de se comparar com os outros.

Mas, quando uma coisa tem de acontecer, tudo parece conspirar a favor.

Você é linda, é inteligente, e senti uma sintonia rara entre a gente. Tô procurando alguém assim pra mim. Você é poesia em movimento.

O que eu estava sentindo era especial demais para deixar que o medo me impedisse de viver aquele amor.

Fato de que a vida era isto: uma sucessão infinita de desafios.

Eu me encantava cada vez mais por aquele cara que me ensinava o que era o amor de verdade e me mostrava que a palavra “desistir” não fazia parte do seu vocabulário.

O amor pela música nos tornava cúmplices, como se dividíssemos um segredo só nosso, e reconhecíamos, com respeito, o poder que ela tem de forjar elos inesquecíveis.

Acredito muito que, quando estamos no caminho certo, entramos numa espécie de fluxo — uma vibração na qual tudo parece acontecer em perfeita sincronia

E, sobretudo, de algo que marcou muito a identidade das letras: a coragem e a importância de não desistir dos nossos sonhos.

Afinal, a hora mais escura é aquela que precede a luz, como dizem por aí.

Mas, se você está no jogo, é bom aprender as regras. Acima de qualquer coisa, eu tinha um compromisso comigo mesma,

Que neste mundo cada um tem o seu caminho a trilhar, que não podemos andar por uma estrada que é do outro.

Não existem culpados. Assim como não é possível passar por essa vida sem cometer erros.

“Sempre que desejar algo, pode pedir ao pôr do sol. Pra mim, ele é o melhor mensageiro de Deus.”

Algumas mágoas e ressentimentos de coisas ditas sem intenção não iam embora tão facilmente.

Compartilhar uma refeição, para mim, ainda é a melhor coisa que podemos dividir com alguém.

Temos de aprender o que realmente nos faz felizes e parar de engolir padrões que acabam nos colocando dentro de caixas e nos sufocando.

Mas eu sabia que tentar simplificar as coisas e relativizar a dor do outro é muito fácil.

Aprendi que não estamos no controle de nada, a não ser das nossas próprias escolhas, e que, a partir delas, podemos criar esta ou aquela realidade.

Hoje compreendo que só me tornei o que sou graças a tudo o que vivi. Acolho cada experiência com amor e gratidão eternos. Se um dia eu quis fugir da minha história, hoje a carrego como um estandarte, com muito orgulho.

Os fãs são o maior tesouro que um artista pode ter.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Cute but psycho | Playlist

Comecei o ano dizendo que esse era o ano da Manu Gavassi, atuando na disney, laçando e dirigindo clipes e depois a sua web série Garota errada, escrita e dirigida por ela. A cantora acaba de lançar um EP intitulado como Cute but psycho. É notável que a moça só cresce musicalmente falando, sem medo de jogar ou sair da sua zona de conforto musical suas letras continuam cheias de verdade, vulnerabilidade e sentimento.

Composto por três músicas sendo elas: cute but psycho, talvezeunemteame(tantoassim) e sim, é sobre você. A última foi minha favorita, pois ainda consigo ver a mesma garotinha que lançou seu primeiro álbum com dezoito anos e sinto toda vulnerabilidade da letra. Amanhã tem o pocket show dela aqui em Recife, confesso que estou ansiosa para reencontra-la, falar sobre o EP autografar meus cds e  renovar o abraço de 2017.

Terão dois pockets show um na Livraria Cultura às 18 horas onde foram vendidos ingressos e outro na John John gratuito ambos no Shopping rio mar.


quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Chiling adventure of Sabrina | Viciada em séries


A nova série queridinha da Netflix mal estreou e já teve confirmado um especial de natal e segunda temporada para abril do ano que vem. O mundo sombrio de Sabrina em tradução livre, conta com a produção do mesmo produtor de Riverdale também disponível no serviço de streming e já resenhada aqui no blog. Do mesmo universo da Archie comics os produtores já prometeram um crossover entre as histórias e atualmente Riverdale se encontra na terceira temporada com um pegada mais sombria sendo assim um gancho para um futuro episódio especial das séries.

A cidade de Riverdale é vizinha de Greendale cidade onde se passa a história da jovem bruxa. Sabrina perdeu os pais muito nova por isso foi criada pelas suas tias Hilda e Zelda. Na companhia de seu primo Ambrose Spellman que está em prisão domiciliar como castigo por se revelar aos mortais. Prestes a completar dezesseis anos, a jovem bruxa precisa tomar um decisão que irá mudar seu destino no mundo dos mortais. Ela precisa renunciar a sua vida humana, assinar seu nome no livro da besta e se entregar nas mãos de Satã.



Dentro da primeira temporada vamos encontrar diversas discussões e dentre elas religião e empoderamento feminino. Antes de assinar seu nome no livro, a jovem entra em conflito sobre suas escolhas e se é isso mesmo que ela quer, pois após renunciar sua vida enquanto mortal perderá o contato frequente com seus amigos e consequentemente seu namorado Harvey. Então, ela começa a questionar se quer de fato de tornar uma bruxa e se vai porquê tem que abrir tudo em nome de Satã?

A fotografia da série é extremamente importante, sútil e conversa com a narrativa. Os dois primeiros episódios são para conhecer a série, a personagem e todos que são importantes nessa narrativa. É repleta de referências a filmes de terror e tem um episódio todo baseado no exorcista. Muitas referências dos anos oitenta assim como Stranger Things. A trilha sonora tem desde hits dos anos oitenta a bandas atuais e deixarei o link disponível aqui. O teaser da segunda temporada acabou vazando nos EUA obrigando a netflix a disponibilizar o oficial e data de estreia da segunda temporada que é 5 de abril de 2019. E nesta sexta sexta dia 15 estréia o especial de natal da série.


segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Começando do zero | Escritos

Leia ouvindo: Viva - Zimbra

Quando se tem ansiedade o simples ato de recomeçar é difícil. 

Nós últimos três anos, escrever nesse blog tem sido uma das poucas coisas na quais concentro minha energia e me faz extremamente feliz. Neste ano todos os projetos em que me envolvi ou simplesmente arquitetei deram muito errado. E no começo foi inevitável não me culpar, me comparar e ter vontade de desistir de novo. Sim, de novo. A ideia de apagar este site sempre me assombra nos momentos mais complicados da minha vida pessoal, profissional e adulta. Não tenho mais treze anos, mas às vezes me sinto como uma garotinha assustada na maior parte do tempo. O diagnóstico da ansiedade colaborou de certa forma com tudo. Sempre me cobrei demais, pois fui criada dessa maneira e não sei sei gentil e compreensiva comigo mesma, mas estou aprendendo sobre isso na terapia.

Às vezes eu preciso me permitir desmoronar e entender que está tudo bem, pois não sou uma grande muralha. É como a Clarice Freire uma das minhas autoras favoritas escreveu uma vez "Tentando segurar água entre os dedos, vi o quanto é inútil me segurar aos meu medos." Comentei sobre deixar de ser medrosa a pequenos passos nesse texto aqui. Em comparação aos últimos anos adquiri a postura da mulher cofiante e que entende que vai dar sim pode dar errado, pois ninguém além de Deus pode ter o controle de tudo. (escrevendo isso, mas sigo afastada de religião e me sinto muito melhor assim, pois quanto mais conheço a repeito de religião mais entendo que isso não tem nada a ver com Deus)

Uma das minhas melhores amigas viajou na terça passada para um dos lugares que mais quero conhecer no mundo e na companhia dela. E isso me deixou muto feliz por ela estra tendo essa oportunidade, mas deixou meu coração morrendo de saudade e a despedida dela me rendeu um conto que estou pensando em escrever e postar no natal (sem promessas rs). Me senti muito na necessidade de escrever sobre isso por aqui, pois desde que escrevi sobre saúde mental por aqui tive muitos comentários positivos a respeito (eu chorei com algumas mensagens). Provavelmente está é a minha crise dos vinte se prolongando mais do que devia, porém ao mesmo tempo que vivi coisas dolorosas demais como perder o meu avô, entrar em crise por mais vezes do que posso contar e perder o primeiro show da minha banda favorita na cidade.

Conheci pessoas amáveis que espero sempre manter contato pela energia boa e conversa bacana. Fui ao segundo show da minha banda favorita com direito a foto com os membros, comecei finalmente o rascunho de Fred e Júlia (meu primeiro livro vem finalmente :'), entrei numa jornada de autoconhecimento a respeito de escrita e encontrei a minha voz na literatura. Parece que vivi cinco anos em apenas um e os astros nem me alertaram disso. Minha estante de livros cresceu, mas ao mesmo tempo que isso aconteceu a estante também foi esvaziada. Fiz uma promessa a mim mesma de que todo ano iria doar alguns livros no meu aniversário. Meus pais nem sempre tiveram bons salários e minha vó nem sempre me deu grana como hoje. Desse modo, pensei que seria muito legal proporcionar para uma garota que assim como eu, pudesse ser salva pelo livros sendo levada a enxergar outras narrativas dentro do mundo e enxergasse um lugar para ela nele.   

É coisa demais para saber numa folha de caderno né? por isso eu corri e abri a janela de nova postagem. Não vou prometer nada e nem dar spoilers, mas uma nova fase vem ai e espero conquistar novos leitores e cativar os mais velhos. Se você se sentir com vontade partir tudo bem, às vezes duas pessoas estão em tempos diferentes da vida e por isso eventualmente se desencontram ou deixam de fazer parte do mesmo ciclo. Só espero que assim como eu aprendo com a minha psicóloga toda sessão, você compreenda que é importante respeitar sua jornada e algumas pessoas que já fizeram parte dela.

Instagram

© Escritos & Livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in