Destaques

Receba nosso conteúdo por e-mail ♥

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Começando do zero | Escritos

Leia ouvindo: Viva - Zimbra

Quando se tem ansiedade o simples ato de recomeçar é difícil. 

Nós últimos três anos, escrever nesse blog tem sido uma das poucas coisas na quais concentro minha energia e me faz extremamente feliz. Neste ano todos os projetos em que me envolvi ou simplesmente arquitetei deram muito errado. E no começo foi inevitável não me culpar, me comparar e ter vontade de desistir de novo. Sim, de novo. A ideia de apagar este site sempre me assombra nos momentos mais complicados da minha vida pessoal, profissional e adulta. Não tenho mais treze anos, mas às vezes me sinto como uma garotinha assustada na maior parte do tempo. O diagnóstico da ansiedade colaborou de certa forma com tudo. Sempre me cobrei demais, pois fui criada dessa maneira e não sei sei gentil e compreensiva comigo mesma, mas estou aprendendo sobre isso na terapia.

Às vezes eu preciso me permitir desmoronar e entender que está tudo bem, pois não sou uma grande muralha. É como a Clarice Freire uma das minhas autoras favoritas escreveu uma vez "Tentando segurar água entre os dedos, vi o quanto é inútil me segurar aos meu medos." Comentei sobre deixar de ser medrosa a pequenos passos nesse texto aqui. Em comparação aos últimos anos adquiri a postura da mulher cofiante e que entende que vai dar sim pode dar errado, pois ninguém além de Deus pode ter o controle de tudo. (escrevendo isso, mas sigo afastada de religião e me sinto muito melhor assim, pois quanto mais conheço a repeito de religião mais entendo que isso não tem nada a ver com Deus)

Uma das minhas melhores amigas viajou na terça passada para um dos lugares que mais quero conhecer no mundo e na companhia dela. E isso me deixou muto feliz por ela estra tendo essa oportunidade, mas deixou meu coração morrendo de saudade e a despedida dela me rendeu um conto que estou pensando em escrever e postar no natal (sem promessas rs). Me senti muito na necessidade de escrever sobre isso por aqui, pois desde que escrevi sobre saúde mental por aqui tive muitos comentários positivos a respeito (eu chorei com algumas mensagens). Provavelmente está é a minha crise dos vinte se prolongando mais do que devia, porém ao mesmo tempo que vivi coisas dolorosas demais como perder o meu avô, entrar em crise por mais vezes do que posso contar e perder o primeiro show da minha banda favorita na cidade.

Conheci pessoas amáveis que espero sempre manter contato pela energia boa e conversa bacana. Fui ao segundo show da minha banda favorita com direito a foto com os membros, comecei finalmente o rascunho de Fred e Júlia (meu primeiro livro vem finalmente :'), entrei numa jornada de autoconhecimento a respeito de escrita e encontrei a minha voz na literatura. Parece que vivi cinco anos em apenas um e os astros nem me alertaram disso. Minha estante de livros cresceu, mas ao mesmo tempo que isso aconteceu a estante também foi esvaziada. Fiz uma promessa a mim mesma de que todo ano iria doar alguns livros no meu aniversário. Meus pais nem sempre tiveram bons salários e minha vó nem sempre me deu grana como hoje. Desse modo, pensei que seria muito legal proporcionar para uma garota que assim como eu, pudesse ser salva pelo livros sendo levada a enxergar outras narrativas dentro do mundo e enxergasse um lugar para ela nele.   

É coisa demais para saber numa folha de caderno né? por isso eu corri e abri a janela de nova postagem. Não vou prometer nada e nem dar spoilers, mas uma nova fase vem ai e espero conquistar novos leitores e cativar os mais velhos. Se você se sentir com vontade partir tudo bem, às vezes duas pessoas estão em tempos diferentes da vida e por isso eventualmente se desencontram ou deixam de fazer parte do mesmo ciclo. Só espero que assim como eu aprendo com a minha psicóloga toda sessão, você compreenda que é importante respeitar sua jornada e algumas pessoas que já fizeram parte dela.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Resistindo ou só indo? | Escritos


Meu corpo está cansado e a mente tentando reagir ao resultado.

Só que a lua está em câncer então estabilidade emocional não teremos tão cedo. Achei que o mundo estava ao contrário quando liguei a TV e vi o resultado. Dormi pedindo que tudo fosse um sonho ruim, mas o pesadelo é real e nesse meio tempo já se instaurou o caos. Não tem para onde fugir ou correr, está tudo acabado.

Passei o dia sentindo o peito pesado e pedindo para estar errada sobre os próximos quatros anos. Recebi áudios aos prantos, mensagens repletas de medo e a angústia só cresceu. Não sei como começar a me fortalecer. A militância que me perdoe, mas eu não consigo ir às ruas agora. O peso da derrota é grande e saber lidar com ele não é algo que nos foi ensinado. Fala-se muito sobre vitórias, mas em todo o nosso caminho histórico isso jamais foi debatido e/ou ensinado. Lidar com a derrota dói mais do que imaginei. Vi o Chico chorar, vi o feminicídio atacar, vi a criança sofrer, vi gente desaparecer, vi a história se repetir e assisti a democracia morrer.

Todos nós perdemos.

Só que para alguns grupos especialmente os minoritários a dor nem consegue ser descrita, pois o país que mais tira suas vidas votou contra sua existência. Como sobreviver a isso?

A pergunta não vai sumir da minha cabeça e provavelmente nem na sua que está lendo isso. Ninguém sabe como seguir não existe fórmula secreta para tudo. Infelizmente as coisas não são tão pragmáticas como na matemática, mas apesar de você amanhã há de ser outro dia. Perdemos na urna, porém não vamos perder enquanto grupo.

Resistindo ou só indo? Sinceramente, não sei. Levantamos hoje e seguimos. O amanhã que vai chegar é com vocês.

Se fortaleçam, pois há luta.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Um mapa astral musical | Playlist


A banda Hotelo lançou seu CD novo e ele é todo inspirado nos signos do zodíaco. O disco foi liberado no último dia (31) de agosto à meia-noite em todas as plataformas digitais. Com doze participações dente elas Atitude 67, Anavitoria, Caio Corrêa (ex integrante do Scracho), Dinho Ouro Preto, Jade Baraldo Nina Fernandes e outros. Conheço a banda de outros trabalhos e adorei a ideia de explorar os signos e com um tom engraçado, gostoso e sarcástico, se jogando em ritmos diferentes.

Os arranjos adequados para cada cantor foi a sacada mais legal em todo disco. É sempre muito bacana sair da zona de conforto seja ela musical ou qualquer outra. Todo processo criativo para construção do disco foi um grande desafio, mas que agregou demais para todos que fizeram parte deste processo criativo. Em um vídeo curto no seu canal do youtube, eles ilustram um pouco de como foi a experiência e contam que o disco foi gravado em casa.

Trechos das canções favoritas:

Mas não se esconda num casulo
Sem tu não é seguro viver

Pode crer. (...)
Câncer (part. Vitória Falcão)

Eu vou com todo mundo
Que é com todo mundo que eu quero estar
É esse abraço que eu quero apertar

E nesse abraço cabe um milhão
Libra (part. Ana Caetano)

Eu não dependo de ninguém
Ser livre é lindo
Mas devo te admitir

Que encontrar teu caminho atrapalha
Virgem (part. Nina Fernandes)

Mas não venha me irritar
O modo de eu trabalhar
Lentidão é perfeição
E agora eu vou jantar pra depois
Touro (part. Pedro Calais)

domingo, 2 de setembro de 2018

Ana e Vitória | Manteiga de cinema

Foto: Papel Pop

Na sexta (03) de agosto, compareci a sessão especial organizada pelo Cinemark em Recife para a sessão do filme Ana e Vitória com a presença das cantoras. O evento foi bem cheio e o que levou as fotos que seriam individuais serem em grupo, pois já estava atrasado devido a outra sessão que aconteceu mais cedo organizada pelo shopping também.

O filme é uma mistura ficcional de tudo que aconteceu na trajetória das cantoras até aqui de uma forma leve e engraçada como a dupla. A trilha sonora é linda e foi composta por elas e as faixas acabaram fazendo parte de seu disco novo O tempo é agora já tem post por aqui contando o que achei. A comédia romântica é linda, leve e tem muitas particulares que foram exploradas no roteiro e na montagem das cenas. Também teve participações especiais como as de Mari Nolasco, Pedro Pascual, Mike Túlio e Guto Oliveira da banda Outroeu. 

Foto: Aletral
O longa tem muito a carinha do duo provavelmente pela participação integral delas tanto no roteiro e por serem as mesmas que representam seus próprios papéis na história. Quando saiu o pôster achei que fosse uma brincadeira e me peguei pensado se seria uma boa esse filme. Confesso que amei ser surpreendida por cada coisa importante na narrativa que compõe este longa. Tudo é muito importante e é uma comédia romântica com bastante representatividade lésbica, bissexual e que gostaria ter assistido quando era pré-adolescente. A Clarissa Müller foi uma das atrizes revelações famosa nas suas redes sociais ela canta e atua revelando seu artístico lado para os seus seguidores. 

Além de músicas inéditas a trilha sonora é composta por sucessos do início da carreira da dupla. A classificação indicativa é de 12 anos. O filme estava em todos os cinemas do Brasil e vale com certeza uma ida ao cinema para sair de coração mais leve e energias recarregadas. E espero poder comprar dvd e trilha sonora para sempre ouvir as músicas da maneira que foram interpretadas, pois gostei demais.

Serviu também para que os fãs a enxerguem como duas pessoas diferentes e não integrantes de uma coisa só, mas o conjunto de algo. 

Foto tirada no evento:
Trailer do filme:

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

O tempo é agora | Playlist

Na madrugada da primeira sexta do mês (02), Anavitória surpreendeu os fãs ao lançar um disco novo em todas as plataformas digitais logo após seu filme ter estreado nos cinemas.O tempo é agora conta com onze faixas das quais dez entraram nos top 100 do Spotify no primeiro sábado após o lançamento.


As músicas falam muito sobre amores fluídos, recomeços e términos. Diferente do primeiro álbum do duo este me parece mais emocional, profundo e sensível que o primeiro. As letras são mais sofridas e falam muito de amadurecimento, se encontrar no amor seja ele qual for, se perdoar, sentir dor e sobre sentir completo antes de ficar com alguém. A Ana é uma compositora fantástica que só cresce todo dia e isso ficou muito nítido nas letras.

Minhas canções favoritas são: Cecília, Outrória (parceira com Outroeu), Canção de hotel e Dói sem tanto. Na verdade amei o disco todo, mas estas em particular tenho escutado no repeat do spotify. Os Cds físicos já chegaram em algumas lojas e a turnê já começou as cantoras postaram um pouco do making off da criação do segundo álbum nas suas redes sociais e também prometeram clipes em breve.

Trecho das minhas canções favoritas: 

"Que tua amarra no meu peito não se deu..."

"
Eu nunca vi ninguém

Fazer tanto barulho num só coração..."

"Saudade parece não ter tamanho

O mundo sem ti, nem vi, nem é..."

"Tu me diz todo segundo
Que ser liberdade vem de dentro
Diz então
Porque tuas amarras me machucam?
Eu sei nossa verdade é bonita
Lealdade é coisa rara
Mas meu canto pede solidão pra ver o mundo"

Lembro de quando indiquei os covers dela aqui no blog e um tempo depois elas estavam produzindo seu EP depois o primeiro disco, agora o segundo e fico muito feliz de ter acompanhado tudo desde o primeiro show aqui em Recife até agora. Espero que trajetória do duo ainda alcance vôos mais intensos que os de agora é lindo de ver tudo do lado daqui.   

Instagram

© Escritos & Livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in