Destaques

Receba nosso conteúdo por e-mail ♥

segunda-feira, setembro 18, 2017

Minha vida fora de série 4ª temporada | Lançamentos


Na última quinta, 14 de setembro. Ocorreu em Recife o lançamento de Minha vida fora de série 4° temporada da Paula Pimenta. Compareci ao evento junto com a Jubs que também é blogueira no Lanterna Lunar. As senhas foram distribuídas a partir das 09 horas da manhã e foram 300 senhas. 

Logo antes do shopping abrir já tinha uma fila na entrada e a listinha que o pessoal sempre faz pra manter a fila organizada por ordem de chegada, mas foi completamente ignorada por um senhor que conseguiu entrar no shopping antes da fila e conseguiu pegar 4 senhas. O que é extremamente errado, pois todo mundo que comparece a esses eventos sabe que a senha é pessoal e intransferível. Apenas uma por pessoa e foi extremamente errado e desrespeitoso da livraria dar as senhas para ele ignorando as outras pessoas que já estavam lá. Sem contar que o mesmo ainda discutiu com outra mãe que estava na fila com a filha.

Passado o estresse, as senhas foram distribuídas erroneamente e todos saíram da livraria. Às 18 horas a entrada foi iniciada para o bate papo com a autora e os sorteios feitos na sala para os leitores. Foi muito legal ver a Paula novamente a Editora Gutenberg sempre põe Recife nas turnês assim como várias cidades do nordeste o que é bem bacana, pois o público da autora é extremamente grande pelo nordeste e sempre lota as livrarias.

Seguem as fotos tiradas pela Jubs da câmera dela e do meu celular: 



quinta-feira, setembro 14, 2017

Vulnerável | Escritos


Foi difícil escrever essa semana uns conflitos pessoais tomaram grandes proporções que não estava esperando, mas que acabou servindo de inspiração mais uma vez. Acredito que ninguém nunca está preparado de verdade. Mesmo sabendo que todo ciclo possivelmente um dia se fecha, ainda sim não aprendemos a lidar com isso de forma mais tranquila. Então, se inicia uma guerra onde é preciso tomar cuidado para não enfrentar essa luta sozinho e manter sua sanidade mental estável. No momento é o que está em jogo, então precisamos saber a hora de parar. E não se torturar, nem se ferir de forma tão covarde contra si mesmo. 

Sabe aquele sorriso do texto anterior? Então. Essa semana ele apareceu nos meus sonhos e assim como qualquer sonho bom esse não chegou a se tronar real. E eu acordei, me dei conta de que de fato as coisas já não são como eram antes, que tudo que eu precisava agora era aprender a chutar o balde e enterrar todo esse assunto, só que dentro de mim. E vomitar todas as vezes que for preciso aqui e não mais pra quem já tem certeza de tudo que ainda sinto e que já não sente mais. Não é fácil viver em um quadrado nada confortável, temos que ir além, passar pelo deserto até achar um oásis. 

No meio da madrugada de domingo para segunda quando todo mundo dorme esperando a semana que começa, alguém está pensando sobre todo adeus. Alguém está pensando em você. Em algum lugar alguém lembra do amor de um amor passado. Lembra, não querendo resgatar o amor, mas como quem vê, uma foto antiga do dia em que ficaram juntos e sorri. E o pior do fim dos amores não é o fato do fim em si. O pior de um antigo amor é a ternura inevitável das lembranças. 

Então com isso escrever um manuscrito com sentimentos que te afligem todos os dias é tão difícil quanto uma prova final da faculdade. A diferença é que na prova, mesmo sendo final, você consegue mais uma chance. Mas já no amor, quando ele já não está mais sendo servido na mesa como prato principal, você precisa levantar. Sem reciprocidade é impossível manter um sentimento estável por muito tempo. É primordial que em uma boa relação tudo seja mútuo. Eu te amo, eu também te amo, eu te respeito, eu também te respeito. Isso pode durar bem mais que uma novela, sem precisar terminar quando o semestre acabar sabe? Enquanto os personagens existirem. Contanto que existam um para o outro por inteiro. Ninguém completo de si, merece metade do outro. 


É por isso que eu amo escrever. Cada comentário positivo e de identificação pessoal de vocês, me faz perceber o quanto que é importante citar o amor. Pelo menos aqui. Além de se identificar, conseguem passar pra mim a esperança de que não estou sozinho. Isso é gratificante demais. 

Então, hoje, deixo aqui nesse texto meu sopro de nostalgia,que pode ser o seu sopro de nostalgia. Escrito num papel. Tudo que já vivenciamos e dizemos um para o outro para assim se eternizar. Já que nós não nos eternizamos.


Adeus, alguém precisava dizer!

quarta-feira, setembro 13, 2017

LIVROS LOOK WHAT TO MEDE ME DO | Youtube



Vocês acharam que eu não ia falar de Taylor Swift hoje?

Tem vídeo novo no canal e respondi uma tag que é inspirada em um dos novos singles da Taylor criada pela Thais do Pronome interrogativo.



Perguntas da tag:

1- You asked me for a palce to sleep, locked me out and threw a fest
- Um livro que tenha traição

2- I I'I be the actress starring in your bad dreams
- Um livro com um vilão muito malvado.

3- I'm sorry, but the old Taylor can't come to the phone right now? - Why? - Oh, 'cause she's dad.
-Um livro com plot twit (reviravolta no enredo) incrível

4- Honey, I rose up form the dead i do it all the time
- Um personagem que apesar das dificuldades não perde o brilho.

5- I don't like you perfect crime you said the gun was wine
- Seu livro policial favorito.

6- Look what you made me do
- Um livro que te fez virar a noite.

quinta-feira, setembro 07, 2017

Resiliência | Escritos

foto: tumblr
Leia ouvindo: Rise - Katy Perry.

Me preparei psicologicamente por precisamente três semanas para escrever esse texto. Coloquei as melhores músicas que fazem parte do minha atual conjuntura para fluir como frases de autoajuda e inspiração. E então saiu, estou aqui. 

E quero começar dizendo que manter sua saúde mental estável, é o melhor presente que você dar a si mesmo. Permita sempre tentar usar sua fragilidade sentimental para o melhor. O melhor em si, você só vai descobrir ao passar por uma situação delicada, infelizmente. É o famoso "apanhando para aprender". 

A inspiração para esse texto, no meu caso. Tem nome, sobrenome e um
sorriso que me destrói todos os dias. A partir do momento em que eu acreditei que dependesse dele pra minha vida. E acreditei que se entregar com toda intensidade do mundo era a solução para tudo. Então, eu, idealizava que a aquela pessoa séria a que mais fosse passar momentos incríveis ao longo da minha vida.  Sim, a gente costuma acreditar bastante no "pra sempre". Parece mentira né? Mas a gente não consegue deixar isso apenas nos contos de fadas. 

Então, sabe aquele sorriso lindo que citei acima? Pois é. Ele agora sorri pra outra pessoa. Agora é o motivo de outra pessoa também sorrir. Ele não é mais meu ou talvez nunca tenha sido, mas com minha mania de acreditar que as pessoas pertencem a alguém acabo levando uma rasteira da famigerada vida mais uma vez. 

O que ganho com tudo isso? Maturidade suficiente para entender que as coisas mudam de lugar sem a gente nem perceber.

Basta um dia nascer, uma noite surgir e aquele dia nunca mais vai se repetir. Com a vida acontece a mesma coisa, a diferença é que quem escolhe se vamos viver como se fossem todos os dias o mesmo, somos nós. Eu por exemplo, achava que a dor da ausência de alguém nunca fosse passar. E me martirizei por erros que talvez não fosse tão erros assim. Super concordo em se permitir a sentir tudo, seja a dor ou o amor. Sinta, não finja nada por ninguém e nem pra alguém. Apenas sinta.

Agora, acreditar que vivenciar por muito tempo essa dor como se a vida tivesse parado ali, naquele instante.

É tortura!

É cilada! Você é bem mais que isso!

Se eu recebo dor, devolvo amor. 
Isso nos torna mais forte e acreditar que a vida só tem a nos fazer crescer por nós mesmos, depende de você. Então comece de hoje, comece de agora. E seja você sempre, com dor ou sem dor. Não estacione o que você tem de melhor por nada muito menos por alguém. 

Tudo acontece por uma razão. 

terça-feira, setembro 05, 2017

O mínimo para viver | Manteiga de cinema


A Netflix tem investido bastante em produções com temas que estão presentes no cotidiano para milhares de adolescentes e que apesar de não serem nada atuais ainda é tabu falar sobre eles. To into the bone em português O mínimo para viver protagonizado por Lily Colins atriz que posteriormente sofreu de anorexia e bulimia quando era mais nova. As duas são coisas diferentes, mas que muitas vezes tem andado juntas.

Anorexia é um distúrbio alimentar que leva pessoa  ter compulsão por exercícios e enxergar seu corpo de maneira diferente do que ele é naturalmente. É um problema crônico, ou seja, pode durar anos ou uma vida inteira. Bulimia é um transtorno marcado pela compulsão alimentar e métodos malucos para evitar ganho de peso.E também é um problema crônico pode durar anos ou uma vida inteira. De todos os sites que li e consultei é um problema que não tem cura e sim controle. É possível controlar a doença, mas não existe cura. O paciente pode ter crises ao longo da vida, mas também pode ter controle das respectivas doenças por anos e nunca mais ter nada.



O filme começa com um aviso de gatilho para os espectadores e avisa que todos os atores tiveram problemas posteriormente com essa distúrbios. Todos já tem minha mais sincera admiração, pois enfrentar essas distúrbios é muito mais complicado e ter forças para interpretar um papel como esses depois tudo que tenham passado, é admirável.

A personagem principal a Ellen já passou por diversos especialistas e clínicas inclusive acaba de ser expulsa da última, mas parece estar disposta atentar uma última vez com um médico novo e aparentemente mais persistente que os últimos e deixa claro para garota que só vai iniciar o tratamento se realmente quiser continuar a viver caso contrário não perderá seu tempo.


É um filme forte principalmente se você conhece alguém ou já passou pelo mesmo. Algumas cenas foram agonizantes pra mim e me deixaram com um embrulho no estômago. Fiquei feliz da netflix escolher um tema tão importante e comum na vida dos adolescentes e que é sempre tido como "frescura" ao ser abordado. Depois do sucesso de 13 Reasons Why que também aborda um tema tabu o suicídio a plataforma tem investido em filmes e séries com essa mesma pegada para compor o catálogo.

Como todo original netflix possui uma trilha sonora linda, tocante e emocionante e que provoca lágrimas a seus espectadores. Deixarei o link de uma Playlist no spotify aqui nesse post. Ela não é minha e nem netflix é de uma moça chamada Ana Beatriz Freitas.

domingo, setembro 03, 2017

Autores paceiros na Bienal do Rio | Lançamentos


Fechamos uma parceria recentemente como autor Mauro Felippe (@Maurofelippe_autor) que estará presente tanto na Bienal do livro de Pernambuco que será realizada nos dias 06 à 15 de Outubro e também na Bienal do Rio de janeiro com estande próprio nos dias que começa no dia 31 de Agosto e vai até o dia 10 de Setembro.

O autor estará lançando seu livro de poemas e provocações "Humanos". 

Sinopse:é o quarto livro do autor e reúnpoemas que provocam reflexões sobre a vida em sociedade e/ou solitária. Mauro fará seu lançamento oficial no sábado, dia 2, em seu estande de 40 metros quadrados – o maior, segundo a organização do evento, entre os estandes de autores independentes
Com um estilo próprio, o autor coloca em seus poemas pitadas de realismo, envolvendo temas psicológicos e filosóficos. Poemas que, segundo ele, chegam sem hora marcada, quase prontos em seus pensamentos para que possam refletir sobre a sociedade e a vida cotidiana. “As virtudes e desgraças do ser humano são o centro de tudo o que passo aos leitores”, explica. 

O novo escritor, hoje com de 51 anos de idade, iniciou seus primeiros rascunhos ainda na adolescência, mas só resolveu lançar a sua primeira publicação há três anos. “A literatura sempre fez parte do meu convívio familiar. Fui muito incentivado pelos meus pais desde criança e até hoje. Somos de uma família que lê muito, principalmente grandes temas literários”, revela. A descoberta pelo Direito e a ideia de se lançar como autor vieram – como Mauro costuma mencionar – “num estalo”.

A Mirela Paes (@MirelaPaes) também é nossa parceira e vai estar na Bienal do Rio de janeiro no estande da Editora Qualis dia 03 de setembro autografando às 10 horas da manhã, mas o laçamento oficial é dia 07 no estande da editora às 17:00 horas o seu segundo livro publicado Destinos Cruzados. Já tive o prazer de ler a obra antes dessa edição nova e gente quem leu Se eu ficar vai amar muito a vibe do Adam me lembrou muito o desfecho principal da história e é meu livro favorita da autora até então.


Sinopse: Sarah sempre foi uma garota tímida e reservada. Mesmo não se sentindo à vontade, era comum estar sob a luz dos holofotes. Seu pai era um famoso diretor de blockbusters, sua mãe, responsável pela curadoria de um dos mais respeitados festivais indies do mundo. Para completar, seu namoro estava em crise e ele era nada menos que o pop star dos filmes teens do momento. Sua melhor amiga? Tinha contracenado com ele no filme que o revelou. É querendo fugir desse meio louco que ela acaba caindo da estrada. O que ela não imaginava era que em pouco tempo acabaria se descobrindo verdadeiramente. Se apaixonaria de verdade e deixaria a artista que tinha dentro dela florescer...

Adicione o livro no Skoob e no Goodreads

Compre na Amazon Destinos Cruzados

Vai estar pela Bienal esses dias? Corre pra conhecer esse dois autores lindos você não vai se arrepender. 

Instagram

© Escritos & Livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in