Tudo e todas as coisas | Estante

by - domingo, maio 14, 2017

Nome: Tudo e todas as coisas.
Autora: Nicola Yoon
Editora: Novo conceito.
Páginas: 304 páginas.
Classificação:
Onde encontrar: Amazon | Cultura | Saraiva | Submarino 


Sinopse: Madeline é alérgica ao mundo. Ao longo de seus dezoito anos nunca saiu de casa. Vive com sua mãe numa rotina de internet, livros e jogos à noite. Até que o garoto de belos olhos azuis se muda para casa ao lado. Ela tem uma doença muito rara que faz qualquer coisa no mundo afete seu sistema imunológico podendo gerar uma doença. Quando o Olly se muda pra casa do lado a garota se vê em cenário diferente e disposta a conhecer o mundo lá fora.





Minha opinião:

A representatividade com certeza é um dos pontos mais fortes dessa história. Depois de ler os vários romances, confesso que estava um tanto saturada da mesma fórmula de personagem principal loira ou morena de cabelo comprido liso. Uma personagem principal negra foi extremamente importante principalmente no momento social e político que estamos vivendo.

Um romance delicado e perfeito para ser lido em um final de tarde. Impossível de largar, as coisas vão acontecendo e desencadeando outras deixando a história mais irresistível. O livro é composto por ilustrações que facilitam o entendimento de como a Maddy era tratada em casa e como sua doença se comportava.

O Olly é um garoto apaixonante extremamente inteligente. Ao se sentir atraída por ele o mundo dela se expande de mil maneiras. O mundo lá fora que aparentava ser assustador agora parece mais encantador e interessante do que nunca. Isso foi que mais gostei ela quer conhecer o mundo lá fora, explorar tudo o que nunca pode e não apenas viver esse romance.

Adaptação está prevista para estrear nos EUA dia 19 de maio. No Brasil só estréia 15 de junho. Confiram o trailer:


Citações favoritas:

Eu já li muitos livros com pessoas que sofriam por amor. Nenhum deles descrevia essa dor como sendo algo que pudesse ser sentido com pouca intensidade. 

A vida é difícil, querida. Todo mundo encontra um caminho.

Eu não sou uma aprincesa. E nem preciso ser resgatada.

Tudo é um risco. Não fazer nada é um risco. A decisão é sua.

Mas a diferença entre ver pessoalmente é a diferença entre  sonhar que se está voando e voar de verdade.

Você já tem muitas coisa a temer. O amor não vai te matar.

Porém aquelas palavras me fazem perceber que meu coração é um músculo como qualquer outro. Que pode doer.

Talvez haja uma versão da vida de cada um de nós de acordo com cada escolha que fizemos e com aquelas que deixamos passar.  

Você também pode gostar de

2 comentários