Ter medo é normal.

by - março 29, 2017
   Foto: Sotick

Não deixe que o medo de errar impeça que você jogue.

Você já deve ter lido essa frase famosa em algum lugar provavelmente. Há sete anos atrás me deparei com essa mensagem em um filme e disse que levaria para minha vida toda. Até levei. Copiei em todos lugares possíveis e acessíveis ao meu campo de visão diariamente desde os meus cadernos da escola até a parede do meu quarto, mas tenho percebido que não venho aplicando como deveria há anos.

Todos temos medos, receios e empecilhos que te impedem de realizar um desejo. E olhando por últimos anos não tenho levantado a bunda da cadeira e efeito como deveria, não mesmo. Sempre tenho colocado o medo na frente de tudo e da maioria das coisas que quero fazer e isso é muito preocupante, pelo menos foi pra mim ao avaliar essa situação toda que me coloquei.

Ter medo é normal, mas deixar que ele tome conta de você não.

Deixar de ser uma pessoa medrosa e receosa com tudo é tão complicado quanto resolver uma questão de física ou química pra mim. Porém ainda tento e depois de tentar umas vinte vezes até consigo ou rasgo a folha, mas tento no outro dia de cabeça fria. Nunca faço isso com meus objetivos, deu errado desisto, falo que não era pra mim e deixo de lado. Me perguntando onde foi parar minha motivação e coragem nos últimos anos. Quando foi que me tornei uma pessoa que larga tudo pela metade e desiste tão fácil assim? sinceramente não faço ideia.

Sempre é tempo de mudar, inovar, ser alguém melhor e quem sabe até mais maduro. Repensando essas minhas atitudes vejo que as mudanças em 2017 serão maiores que em 2016. Já estamos quase em abril e nunca é tarde para começar né? Levanta do sofá! 

Faça um pedido! | Escritos

by - março 10, 2017
Foto: Sergei Solovev

Leia ouvindo: Esse amor tão errado -Manu Gavassi.

Faça um pedido!

Era meu aniversário, mas eu só conseguia pensar em você. 

O dia inteiro tinha sido uma bagunça. Nem feliz, nem triste, só bagunçado. A cidade estava quente como de costume, mas aquela noite me senti fria o suficiente para dizer adeus e finalmente te esquecer. Aquilo já tinha ido longe demais e eu tinha me sabotado o suficiente. Dizer adeus é difícil, me quebrou em mil pedacinhos diferentes ter mergulhado nisso de cabeça e ter me machucado com sua falta de profundidade. Raso, vazio e sem sentimentos.

Dizem que quando demonstramos de menos, sentimos de mais. Sempre demostrei demais e senti tudo que podia até o máximo possível, mas reciprocidade nunca foi o ponto forte dessa relação. Nosso maior erro. Li isso num livro uma vez e provavelmente vou levar pro resto da minha vida: Nós aceitamos o amor que acreditamos merecer. Nunca entendi o porquê acreditei que merecia tão pouco. 

Meias palavras, meios sorrisos. Mas nada por inteiro.

Quando alguém esquece de se importar com uma relação automaticamente ela deixa de existir. É uma via de mão dupla. Se não há retribuição, se torna platônico. Implorar por pedaços nunca foi meu forte, por isso estou indo embora. Talvez já tenha dado o que tinha de dar, talvez se fossemos menos insistente e mais persistentes esse quadro teria mudado. Mas nós sabemos que não dá pra voltar ao passado.

Mulheres na literatura | Escritos

by - março 08, 2017
No final do século XIX, início do século XX, mulheres foram queimadas numa fábrica por reivindicarem melhores condições de trabalho. Elas trabalhavam 16 horas e recebiam metade do que os homens que trabalhavam no mesmo local e tinham carga horária de 8 horas. Após protestos por melhores condições de trabalho as mesmas foram queimadas nesta fábrica nos Estados Unidos. O dia mulher tem como objetivo de reflexão e não uma data comercial. Várias mulheres tiverem que morrer dentro daquela fábrica que nós pudéssemos votar, estudar, trabalhar fora de casa. 

Nesse dia da mulher escolhi uma representante que mesmo com o contexto da época em que estava inserida, pensou fora da caixinha, saiu da visão patriarcalista e machista em que somos inseridos e educados. 

       Foto: Cheirando Livros.
Virginia Woolf com seu livro Um teto todo seu, questiona sobre impedimento da mulher na literatura de escrever o que quer fosse da forma desejada. Como exercer uma literatura de fato, se nem as coisas básicas necessárias lhes era negado? Não podiam possuir uma renda própria que não fosse de sua família ou marido. Não apenas a questão material, mas a liberdade de pensamento que elas não tinham naquela época (século xx). Mulheres eram criadas para pensar de uma forma e não poderiam sequer questionar. Uma abordagem direta e crítica aos costumes e ensinamentos da época.  
"Quanta genialidade, quanta integridade devem ter sido necessárias diante de toda aquela crítica, em meio aquela sociedade puramente patriarcal, para se apegarem às coisas como as enxergavam sem se encolher. Somente Jane Austen e Emily Bronte fizeram isso. É outra pérola refinada, talvez a mais refinadas, em suas tiaras."
"Suponham, por exemplo, que os homens fossem retratados somente como os amantes das mulheres, e nunca fossem amigos de homens, ou soldados, pensadores, sonhadores; poucos personagens das peças de Shakespeare poderiam ser a eles atribuídos, como a literatura sofreria!"      

Trechos do livro Um teto todo seu.

Amor em jogo | Estante

by - março 07, 2017
Nome: Amor em jogo.
Autora: Simone Elkeles.
Editora: Globo alt.
Páginas: 356 páginas.
Classificação: 
Onde encontrar: Amazon | Cultura | Saraiva | Submarino

Sinopse: Derek acabou de ser expulso do colégio, se as coisas já iam mal agora vão ficar pior ele vai ter que abandonar sua amada cidade a Califórnia para morar na cidade natal de sua madrasta. Já Ashtyn se esconde atrás das suas boas notas para tentar esquecer os dramas e problemas familiares em que vive.
E acabou de virar capitã do time de futebol americano de sua escola, namorada do quarterback e única garota do time. Os caminhos dos dois se cruzam de uma forma inusitada, desejos e segredos virão a tona quando eles menos precisam.

Uma família desestruturada, uma irmã que fugiu de casa e uma vaga de capitã inesperada. A vida da Ashtyn tem muitas reviravoltas em poucos dias. Desde que sua mãe os abandonou a relação com seu pai não é mais a mesma, entrou no time de futebol, pois era a única coisa que mantinha os dois ligados de certa forma. Mas isso não obteve uma recepção muito positiva pelos aos olhos de seu pai. 

Após ser expulso do colégio, Derek terá de ir morar com sua madrasta em Chicago sua cidade natal. Com seu filho de cinco anos, grávida de outro bebê e um enteado Brandi volta para casa de seu pai. Para melhorar isso tudo ela é a irmã de Ash que fugiu de casa. Ao chegar na sua antiga casa a confusão está formada. Desde o começo eles trocam farpas e dizem um ao outro o que ninguém tem coragem de dizer a ambos. 



Minhas impressões:
Livros que tem como ponto principal crescimento, amadurecimento de personagem me ganham e com esse não foi diferente.

Fazia tempo que não devorava um livro como devorei esse, apesar de ser um romance também possui enfoque familiar minha parte favorita dos livros. Realmente não esperava gostar tanto desse livro, achei que iria me decepcionar bastante com a leitura até e fui fortemente surpreendida com a narrativa envolvente da autora.

Foi a minha primeira experiência com um livro dela e curti demais, inclusive já li a sequência que saiu no ano passado pela mesma editora.

É um livro cheio de clichês, mas que são bem aplicados e usados no momento certo. Um dos pontos mais fortes dele é a Asthyn a personagem principal que divide a narrativa com o Derek. Forte, decidida e corajosa. Passa por inúmeras dificuldades, mas nunca abaixa a cabaça, conquistou seu espaço no time de futebol da escola e o respeito de todos. Confesso que particularmente estou bem cansada de tantos clichês e visões distorcidas de personagem femininas, tombar com essa personagem num livro do qual nem esperava gostar, foi incrível.

Um plano familiar complicado e dois adolescentes que não aguentam mais viver nesse drama e tentam encontrar um no outro uma forma de fugir disso. Só senti falta de aprofundamento nas relações familiares. No resto, não tenho do que reclamar.

Uma das minha leituras favoritas de 2016.

Citações favoritas: 


É como se ela fosse sua corda de salvamento e ele ficasse perdido sem ela.
Todo mundo tem um propósito na vida. Encontrar o seu é crucial para saber quem você é e o quer ser.
Acho que ter esperança é melhor do que desistir e pensar que a vida vai ser uma droga pra sempre.
Abraço meus joelhos e digo a mim mesma para não chorar, que com o tempo meu coração vai para de doer tanto.
Mais grossa do que a maioria do caras que eu conheço, que faz com que eu queira dividir as coisas com ela que nunca dividi com mais ninguém.
O amor existe. Eu sei que sim, porque estou louca, profunda e desesperadamente apaixonada.

Mais do que tudo. E ficarei ao lado dela, se o senhor estiver ou não.

Afinal caubói você conseguiu o impossível me fazendo apaixonar por você.

Ed Sheeran | Playlist

by - março 03, 2017
Ontem o Ed Sheeran liberou seu novo CD o divide, movimentando todos os seus fãs nas redes sociais. O álbum conta com 16 faixas na versão deluxe. Nas plataformas online só sai da pré-venda dia 04, amanhã. Acredito que nas próximas semanas estará nas lojas físicas. 

Depois de um ano sem lançar nada o cantor investiu em todas as plataformas digitais, inclusive o youtube para divulgar seu cd novo. Com certeza valeu muito esperar esse tempo todo, cada letra linda e cheia de amor! 


Antes do lançamento foram liberadas quatro músicas em datas diferentes para deixar os fãs ainda mais curiosos. Sem duvida já tenho algumas favoritas e foi extremamente difícil escolher só essas, mas escutem o cd todo, por favor!