Estante: Goosebumps: Monstros e Arrepios







     Alguém aqui já se imaginou sair de casa e encontrar monstros como o Abominável Homens das Neves, o boneco Slappy, vampiros ou até mesmo um louva-a-deus gigante, a solto nas ruas? Não? então você precisa ler Goosebumps. Eu li e aqui está a minha opinião. 

Autor: Editado e Introduzido por R. L. Stine.
Páginas: 143 páginas.
Editora: Fundamento.
Classificação: 
 

 Onde encontrar: Cultura | Saraiva | Submarino


Sinopse: Zach acabou de se mudar de Nova York para Madison e está disposto a aceitar seu destino: ser um garoto novo em uma pacata cidade do interior. Até conhecer Hannah, a vizinha dos sonhos de todo adolescente! Só que, infelizmente, o pai de Hannah, o sr. Shivers, é o pesadelo de qualquer adolescente. Por isso, quando Zach escuta os gritos de Hannah, invade a casa dela para salvá-la. E é então que as coisas acontecem. Zach abre um dos livros do sr. Shivers e, para seu espanto, liberta um monstro! Daí para frente, as coisas saem de controle e outras criaturas são liberadas. Acontece que Shivers é, na verdade, R. L. Stine, o autor de Goosebumps, a mundialmente famosa série de livros de terror. Os monstros são reais, e a única maneira de impedir que eles andem por aí é aprisioná-los novamente. Mas, agora que eles estão à solta, Zach, Hannah e Stine precisam fazer o possível – e o impossível – para mandá-los de volta às páginas dos livros. Inclusive o Slappy, aquele boneco do mal, controlador e egocêntrico. E agora? Será que Zach e seus amigos têm alguma chance?







    Goosebumps é sem dúvidas uma das séries de livros, também adaptadas para a TV, de estrondo internacional desde os anos 90, onde histórias de terror voltado ao público infanto-juvenil tira a paz de muitos que o leem, dando ao escritor R. L. Stine o título de “Harry Potter da década de 90” e “o Stephen King infantil”. Mas o que esperar do livro baseado na adaptação para as telonas, estreado no dia 22 de outubro, produzido pela Sony Pictures?!

    Para quem não sabe, Goosebumps é uma das séries do autor R. L. Stine de grande sucesso, tendo o primeiro livro publicado em 1992, o Welcome to dead house (Bem-vindos à casa da morte).  A cada romance o suspense deixava pessoas de todas as idades mais apaixonados pelos livros, mesmo sendo do gênero infanto-juvenil. Esse ano, com os direitos para adaptação nas mãos da Sony, um filme foi lançado e junto a ele um livro. Com uma nota de três páginas no começo do livro, o próprio autor explica como esteve empolgado ao saber sobre a adaptação e quem faria seu papel. Em um trecho, ele também explica como os produtores chegaram à decisão do que a história trataria, já que essa é a maior dúvida dos fãs, pois a série tem mais de 125 livros publicados e não sabiam sobre qual falaria. Ele cita:

    “Eu escrevi mais de 125 livros de Goosebumps. Por isso, escolher um deles para o filme foi uma decisão difícil, para dizer o mínimo. Então a equipe de roteiristas teve uma ideia genial: — Por que nós deveríamos basear o livro em um livro só? Vamos tentar colocar o máximo possível de personagens de Goosebumps na história. E foi isso o que aconteceu.”

    Então é isso. Criaram o livro baseado no roteiro de Darren Lemke sendo a história de Scott Alexander e Larry Karaszewski, produzido e editado pelo próprio L. R. Stine. O livro é uma espécie de roteiro do filme. E vale lembrar que o Stine não escreveu esse livro. 




SOBRE A HISTÓRIA
   



 O livro trás aquele velho clichê: menino que acabou de se mudar para uma cidade que não queria e tem de enfrentar as dificuldades de ser o novato na escola e na região, tendo como única razão que possa anima-lo a menina mais linda em que ele já viu. Mas se você acha que essa história é um clichê como outro qualquer, está muito enganado. Esse foi muito bem explorado, com romantismo, humor e suspenses nas doses certas. Sempre te deixando com sede de páginas, onde procuramos sempre beber mais um gole Podendo assim agradar a toadas as idades.


    Logo de inicio sabemos o quanto a relação mãe e filho tem espaço na trama, tendo o jovem Zach, protagonista, na posição de pilar de uma estrutura emocional frágil após a perda de seu pai. Isso mostra um pouco de como podemos, ou não, lidar com esses sentimentos, chegando a uma boa evolução. 


    Também é notável a evolução do Zach quando o assunto é coragem. Quando o assunto era Hannah, as coisas mudavam de figura. Apesar de seus medos e receios ele fazia o possível e o impossível para ajudar a garota de seus sonhos. E nesse meio tempo, descobriu o que talvez não fosse esperado por ele: um amigo de verdade. Champ, por onde todas as cenas engraçadas ficam ao seu encargo, diga-se de passagem, mostra-se muito leal ao Zach, também enfrentando seus medos pelo amigo.


    A Hannah é à sombra de seu pai, o R. L. Stine, que inicialmente está desfaçado de sr. Shivers, o ser mais mal encarado e mal morado da face da terra. Ela sem dúvidas retribui tudo o que Zach sente, o que é lindo de acompanhar, e sua relação com o pai — outra demonstração de relação familiar, dessa vez pai e filha — desenvolve-se no desenrolar da trama. As coisas só melhoram para o casal de adolescentes. Enquanto ao sr. Shivers, digo, Stine, só lendo para saber. Mas ele ainda me dá calafrios.





    O livro sem dúvidas vai agradar ao publico no qual é direcionado, pois ele desempenha bem o seu papal e tem uma história bem amarrada, deixando o leitor preso e atento à narrativa. Quem for de fato esperar grande surpresas e um conto de arrepiar pode se decepcionar um pouquinho, pois o livro tem uma pegada leve. Mas é gostoso de ler e sem dúvidas uma boa indicação para todas as idades. Sinto em dizer que pra quem já viu o filme o livro é idêntico, mesmo assim pode ser um bom presente para o natal, para a criançada leitora.

    Também gosta de literatura fantástica ou de terror? Conhece a série Goosebumps ou outas histórias do R. L. Stine? Já assistiu a adaptação? Gostou do post? Comenta aqui em baixo! Quem sabe trocamos um papo legal! Eu adoraria.

Instagram