The end of the f***ing world é boa? | Viciada em séries

by - janeiro 14, 2018
Baseada na graphic novel de Charles Forsman The end of the F***ing world a nova série da Netflix conta a história de James (Alex Lawther) e Alyssa (Jéssica Barden) dois adolescentes com problemas de relacionamento.

Alyssa é uma garota que não possui muita atenção de sua mãe e vive em conflito com sua família, pois seu padrasto é um homem estúpido e rico que as trata de maneira abusiva. James é um garoto com problemas de relacionamentos, após a morte de sua mãe ele acredita que não consegue sentir mais nada e se isola do mundo com seus pensamentos estranhos. Após se conhecerem na escola os dois adolescentes saem numa viajem juntos bem maluca, pois eles não se adequam as suas famílias e acreditam que esse não seja o lugar deles.
A série é extremamente reflexiva, debate várias questões mais profundas e é repleta de palavrões e gírias. É quase caricata ao cotidianos dos adolescentes comuns a partir de perfis estereotipados o que é de fácil compreensão e também de ser encontrado no cotidiano.

Confesso que por diversas vezes me perguntei se a série era boa de fato. Não precisa de muitos diálogos para ser explicada os próprios personagens utilizam do recurso de seus pesamentos para explicarem suas ações que ás vezes podem simplesmente não possuir significado nenhum.

A trilha sonora é muito boa e os episódios são curtos tem em média vinte minutos cada um o que tornar fácil de ser vista toda de uma só vez. O final foi meio clichê, porém extremamente reflexivo, revi duas vezes e fiquei pensando em diversas coisas dentre elas como às vezes a gente não imagina o quão profunda uma ferida pode ser até olhar para ela de verdade. 

Antes de escrever esse post não tinha achado um núcleo temático em si para a série, mas acredito que o propósito principal é falar sobre adolescência, escolhas e família. E criar uma grande reflexão a partir disso das nossas ações. Fiquei extremamente curiosa para a leitura dos quadrinhos após a série e ainda não foi confirmada uma segunda temporada, pois segundo ao ator Alex Lawther numa entrevista para a revista JÓN ele disse que a série acaba no mesmo ponto em que os quadrinhos e o autor teria uma chance explorar sua criatividade para uma segunda temporada, mas até o presente momento nada foi confirmado. Mas os atores estão animados com essa possibilidade.  
Trailer da série:

Playlist do Spotify:

2018: Planos, Expectativas & Renovação

by - janeiro 11, 2018
                                        Foto: Pinterest
2018 começou com uma ladeira e novidades e cada vez que a subo descubro um pouco mais do que esse ano tem para me surpreender. Mudanças sempre deixam minha rotina desnorteada e ainda não consegui me reorganizar cem por cento este ano. Muita coisa mudou desde o final de 2017 até aqui e sinto que o relógio tem girado seus ponteiros mais rápido e os dias estão se passando muito depressa.

Fazem quase duas semanas que o ano começou e já me sinto preparada para pôr em prática todos os projetos que planejei no final o ano passado. Porém todos tem seu devido tempo e estão altamente programados para isso, muita coisa boa vem por aí e espero que todos estejam preparados e curtam esse novo ano repleto de realizações comigo. No ano passado aconteceram coisas surreais que salvaram meu final de ano como por exemplo: termos chegado a UM MILHÃO DE VISUALIZAÇÕES por página aqui. Quando comecei a escrever nesse site não tinha pretensão de ganhar melhores amigos, nem de conhecer tantos autores e pessoas incríveis que me ensinam coisas novas todos os dias. Apesar de amar a literatura gostava de ler no conforto do meu quarto e não sair da minha zona de conforto, porém quando sai um novo mundo se abriu e percorri todo esse caminho até aqui e me tornei uma pessoa melhor, mas provavelmente o que mais me deixou feliz nisso tudo foi conseguir ser eu mesma, quem eu mais queria ser e não tinha me dado conta disso. 

É bem louco pensar nisso e até escrever sobre isso. Se eu pudesse conversar com a garotinha de dezesseis anos conflituosa e que estava trilhando uma guerra consigo mesma gostaria de dizer para ela ter calma e paciência, pois talvez ainda não seja uma das minhas maiores qualidades estou tentando lidar com o meu imediatismo desnecessário e o moldando aos poucos. Tudo se encaixa com o tempo, mas isso significa dizer que tenho que ficar sentada esperando as coisas acontecerem né? Anda, levanta essa bunda do sofá, para de começar série novas e vai escrever os seus livros.

Que 2018 seja um ano de bons frutos e realizações para todos vocês leitores! Obrigada pelas directs inesperadas no instagram elas sempre salvam o dia e mostram que estou no caminho certo. Feliz 2018 <3

Amor & Gellato | Estante

by - dezembro 23, 2017
Foto: Vai lendo

Nome: Amor & Gelato.
Autora: Jenna Evans Welch.
Editora: Intrínseca. 
Onde encontrar: Amazon | Cultura | Saraiva | Submarino
Classificação:     

Sinopse: Lina vai passar o verão Toscânia para cumprir o desejo da mãe e conhecer seu pai, mas a descoberta de um diário antigo dela vai mudar o destino e o rumo dessa viagem. Tudo que ela julgava saber sobre a mãe ao longo desse dezesseis anos, vai mudar após a leitura desse pequeno caderno. O passado das duas é repleto de várias lacunas sobre seu pai e porquê de sua mãe ter ido embora da Itália. Um história linda, comovente e profunda. Só existem duas coisas que fazem as pessoas ficarem na Itália amor & gelato. 

Após a perda da mãe tudo tem sido muito complicado e lidar com as saudades dela tem sido extremamente difícil para a garota inclusive dizer isso em voz alta. Em sua viagem a Toscânia para conhecer o pai, ela conhece o memorial onde Howard mora e cuida que é sobre a segunda guerra mundial, mas também ainda acha que tudo está muito confuso e mal explicado. Após a amiga de seu pai lhe entregar um diário enviado pela mãe meses atrás para o endereço atual as lacunas de porquê ela está nesta cidade começam a ser preenchidas, mas deixam o passado e seus pais em aberto e será que ela quer mesmo conhecer o pai?

Numa visita a todos os lugares que sua mãe conta no diário ela vai conhecer a Itália de uma forma diferente, sentir a mãe em cada pedacinho deste lugar e aprender a lidar com a falta dela e entender de uma vez por todas porque este lugar foi tão importante para ela.

Minhas impressões:
O típico livro que te deixa com o coração quentinho e a vontade de se apaixonar de novo. A história da Lina é dolorosa. Após perder sua mãe a garota ainda está meio perdida sobre o que sentir e não sentir após partida dela. Ao longo das páginas vamos acompanhar a jornada da garota de autodescobrimento e de conhecer Itália e se apaixonar nessa cidade.

No início ela tem o estranhamento e aversão a cidade e tudo que veio junto com ela. Não compreende o porquê de sua mãe querer tanto que fosse aquele local e ficasse com esse até então com um desconhecido que só foi citado nas suas histórias de sua mãe pela cidade. Quando ela recebe o diário não só parece dar sentido a viagem como também preencher as algumas lacunas preenchidas ao longo das páginas e deixar outras, desbravar a cidade ao em uma scooter pode ser interessante.

Sobre o Howard: Que homão da p*, sério de longe o melhor personagem dessa história. O único que não achei necessário foi o Thomas ele só foi um mero figurante e facilmente a história seria imaginável sem ele. Depois desse livro ganhei mais um lugar para minha lista de lugares no mundo que quero conhecer por roteiro literários.

A escrita da Jenna é muito gostosa, leve e quando percebi já tinha terminado o livro. A amiga da personagem principal ganhou um spin-off chamado Love e Lucky, não sei se tem previsão para ser publicado aqui no Brasil, mas acredito que se sim, provavelmente será pela intrínseca.
Citações favoritas:
Por um segundo, pensei em dizer que era como uma ilha, que eu podia estar numa sala cheia de gente e ainda sim me sentiria sozinha, com um oceano de tristeza tentando chegar até mim por todas as direções.
Digo, ele é um cara legal a julgar por todas as histórias que ela contou, sem dúvida era um bom amigo, mas não dá pra fingir que ama alguém. Seria doloroso demais. 
Florença é o lugar perfeito para se apaixonar, o que significa que é o pior lugar do mundo para ter o coração partido.
Talvez essa seja a beleza da morte. nada mais é complicado. Tudo é fechado e definitivo.
Eu sentia tanta saudade dela que às vezes me perguntava como conseguia respirar.
É impossível ter um relacionamento amando outra pessoa.
-Sabe, as pessoas vem a Itália por vários motivos, mas, quando ficam aqui, é só por dois. -Quais? - Amor & Gellato.
Eu não ia deixar de sentir saudades dela. Nunca. Dali em diante a vida seria assim, e por mais que pesado que isso fosse, seria algo do qual eu jamais me livraria, mas não significava que eu não conseguiria me reerguer.
Todo novo começo vem de um fim.
Uma vida sem amor é como um ano sem verão.

Posts que você precisa ler sobre mulheres inspiradoras | Blogosfera

by - dezembro 20, 2017
 Foto: tumblr

Uma carta sobre minha liberdade: Esse texto foi escrito por uma das minhas melhores amigas a Jubs do Lanterna Lunar. A gente sempre conversa sobre feminismo e discute umas pautas muito legais sobre o nosso cotidiano. Ser feminista na contemporaneidade é algo desafiador pela nossa educação patriarcalistas e grade partes dos nossos valores enquanto sociedade retrógrados, mas com união e harmonia a gente consegue se envolver nesse movimento lindo e lutar todas juntas. Afinal é uma por todas e todas por uma né?
Mulheres inspiradoras em 2017: Think Olga é um portal sobre empoderamento feminino e o portal fez um post com mulheres que fizeram diferença em 2017 que saíram das zonas de conforto e lutaram por toda nós seja na arte, no ativismo, cidadania, na ciência, tecnologia e internacionalmente. Muito Girl Power e inspirador demais!

Grata pelos nãos: Encontrei esse texto por acaso no twitter ao ser retweetado pela Luiza Trigo uma das minhas autoras nacionais favoritas. Ao longo da vida ouvimos muitos nãos e esse texto me fez entender o sentimento que estava tendo ao longo desse ano e não compreendia. Aline tem vários textos publicados do Medium (plataforma digital especialmente para textos) e recomendo a leitura deles.

Lady Birdy e meu novo desafio pessoal:  A Bruna é umas das maiores inspirações para manter o blog e foi uma das responsáveis por me fazer fechar o Antes dos Dezesseis de vez e entender que o conteúdo produzido ali não tinha mais nada a ver com quem eu era e estava prestes a me tornar. Lady Birdy só estréia no Brasil em 2018, mas nada que não impeça você de ler esse post e pôr na sua listinha de desejados para o cinema em 2018.

Como se organizar em 2018: A gente sempre quer estar mais organizada e focar nos objetivos no ano seguinte. A Mari Menezes é uma blogueira que acompanho faz muito tempo ela tem me ajudado muito no meu crescimento pessoal e com muitas dicas de organização. Se inscrevam no canal delas para ter dicas em tempo real e acompanhe o blog para mais dicas de livros de organização e crescimento pessoal.